Inicio > Revista Gerência de Riscos e Seguros > Notícias > Perspectivas do Mercado no Peru
Peru-perspectivas-economicas-comerciales

Perspectivas do Mercado no Peru

Após 30 anos no setor segurador, especificamente na área comercial, nosso colega Júlian Vidal assume o cargo de diretor de Desenvolvimento de Negócios Globais.
Em seguida, ele nos faz um resumo abrangente das perspectivas do mercado peruano.

República do Peru estende-se em uma superfície de 1,2 milhão de m², com mais de 33 milhões de habitantes, dos quais 30% concentram-se em Lima. O PIB per capita é de US$ 6.621,57; por sua vez, a taxa de desemprego em 2022 fechou em 4,7% a nível nacional, segundo o relatório publicado em junho de 2023 pelo INEI (Instituto Nacional de Estatística e Informática), os peruanos são reconhecidos como pessoas trabalhadoras, ativas e criativas, mas também por serem altamente informais, por isso a taxa de informalidade supera 73%.

Peru-Taxa-Desemprego-por-sexo

Em relação à evolução do mercado no fechamento de 2022, espera-se que o investimento público não cresça devido à entrada de novas autoridades, tanto presidenciais quanto regionais e municipais. Em 2023, o investimento privado poderia contrair 0,5% devido à ausência de grandes projetos, dentre eles os mineiros, e a falta de um rumo fixo na direção do país nos últimos anos.

Além disso, neste contexto global em que a inflação mundial está nas nuvens, o Peru não foi exceção: enquanto em abril estávamos em 8,46%, atualmente estamos em torno de 5.6%. Apesar destes dados, a inflação desde 2000 em diante ficou muito estável, cumprindo com os intervalos alvo estabelecidos pelo Banco Mundial e logrando uma estabilidade macroeconômica que só foi afetada pela pandemia e seus efeitos nos mercados mundiais e locais.

Hoje temos uma certa estabilidade e calma, a mesma refletida na inflação mensal, que se reconduz e marca uma tendência que nos aproxima do intervalo alvo, entre 1% e 3%, o que se prevê voltar no final de 2023 ou início de 2024.

Perú-PIB-PO

Pontos fortes e ameaças

Nossa moeda, o sol peruano, é uma das mais fortes da América Latina (1 sol = US$ 0.27). A independência do Banco Central da Reserva, estabelecida nos anos 1990 depois de sofrer hiperinflação, gera bases sólidas para crescer apesar das constantes crises políticas. Como exemplo, nos últimos 5 anos, o Peru teve 6 presidentes. Hoje, a primeira presidente mulher, Dina Boluarte, tem sérias queixas relacionadas a direitos humanos pelos acontecimentos de dezembro de 2022, depois de assumir o comando após o fracassado autogolpe de Pedro Castillo.

O Peru encontra-se imerso no cinturão de fogo do Pacífico, região com uma exposição ao risco muito alta de terremoto. Particularmente, Lima, tem um silêncio sísmico que hoje gira em torno de 50 anos, portanto está previsto um evento de grande magnitude a qualquer momento. Além disso, a costa peruana é afetada periodicamente pelos fenômenos do El Niño e La Niña, fenômenos inversos que geram inundações e secas, respectivamente. Durante os meses de janeiro e fevereiro, vivemos o ciclone Yaku, fenômeno inesperado e incomum que afetou a costa norte do país com chuvas que superaram recordes históricos.

Sua ampla extensão, climas diversos, localização estratégica e extensas costas fazem do Peru um grande produtor de matérias-primas e serviços. Os setores de mineração e agropecuário crescem 32% e 36%, respectivamente; 61% das exportações são de produtos de mineração, e a produção cai para valores atualizados. O setor de serviços passa de 39% para 46% do PIB.

Atendendo ao desempenho do país por setores:

• A agricultura é a atividade econômica tradicional, embora nas últimas décadas tenha sido tecnificada e focada em cultivos especializados como mirtilos, aspargos ou abacates, tendo grande relevância nas exportações.
• A mineração tem um peso muito alto (estamos entre os principais produtores de ouro, zinco, chumbo e estanho).
• A produção não cresceu significativamente nos últimos anos devido ao baixo impulso da indústria local e à dificuldade de competir com importações de mercados especializados.
• Pesca: Apesar de ter uma enorme variedade de recursos marinhos, os recentes e longos fechamentos pelas altas temperaturas do mar, bem como comportamentos predadores para a fabricação de farinha de peixe (da qual fomos o primeiro exportador do mundo) fazem com que a produção seja limitada e basicamente permaneça no mercado local.

Tal como coletam outros estudos do INEI, com dados de 2023, o aumento da atividade produtiva do país em 0,31% deveu-se, principalmente, “ao resultado positivo dos setores de Mineração e Hidrocarbonetos, Comércio, Hospedagem e Restaurantes, Transporte e Eletricidade”. No entanto, nesta ocasião as atividades de Agropecuária, Telecomunicações, Finanças, Produção, Construção e Pesca não apresentaram os resultados desejados. É verdade que as condições meteorológicas pelas quais passamos com a presença do El Niño não facilitaram.

Além disso, e para concluir, um país como o Peru, três vezes maior em superfície que o Reino Unido, conta com todos os elementos para potencializar as energias renováveis. A produção de eletricidade cresceu 8,4%, com relação ao mesmo mês de 2022, graças à geração de origem térmica e ao aumento da eólica; por sua vez, reduziu a geração de energias de origem hidráulica e solar.

 

Julian-Vidal-MAPFRE-Mexico

Julián Manuel Vidal Gutiérrez
Diretor de Desenvolvimento de Negócios Globais – MAPFRE Peru

donwload pdf
Nicarágua: perspectivas econômicas e comerciais

Nicarágua: perspectivas econômicas e comerciais

Com perspectivas de estabilidade econômica, muito marcadas pelo consumo privado, e com o objetivo de continuar ampliando seu comércio e projeção internacional, a Nicarágua enfrenta o desafio de consolidar seu programa de energia renovável e continuar criando emprego...

ler mais
Lições aprendidas com o derramamento de pellets

Lições aprendidas com o derramamento de pellets

Passaram-se dois meses desde o derramamento de pellets em praias espanholas e, enquanto os trabalhos de limpeza continuam, as consequências legais e o impacto na regulamentação internacional são alvo de debate no setor de transporte marítimo. O recente despejo de...

ler mais
O subscritor de riscos, o que você sabe?

O subscritor de riscos, o que você sabe?

Existe um profissional que se ocupa de avaliar os riscos de um seguro, buscando o equilíbrio entre garantir as necessidades do cliente e a rentabilidade do negócio. É o subscritor de riscos, uma função em alta no ambiente digital. Mas, o que há por trás do processo de...

ler mais