Home > Revista Gerência de Riscos e Seguros > Entrevistas > José Antonio Ruibal: “A evolução dos combustíveis fósseis para o investimento em tecnologias limpas requer soluções de seguros diferentes”
Jose-Antonio-Ruibal-933x526-1

José Antonio Ruibal: “A evolução dos combustíveis fósseis para o investimento em tecnologias limpas requer soluções de seguros diferentes”

O Chief Underwriting Officer da MAPFRE Global Risks, José Antonio Ruibal, concedeu uma entrevista recentemente à revista Cambio Financiero, na que explicou em que consiste a função da área de Assinatura e a importância de sua digitalização.

“MAPFRE Global Risks sempre fez gala de um alto nível técnico em todos os seus departamentos, especialmente naqueles de relação direta com o cliente (assinatura, sinistros, engenharia)”, disse o diretor. Também afirmou que a assinatura se concentra em devolver a carteira a níveis de rentabilidade sustentáveis no longo prazo, mediante a adequada seleção de riscos, sua tarifação e a gestão eficiente das proteções de resseguro. Além disso falou dos fatores chave da mesma, “os efeitos sobre a assinatura produzem-se majoritariamente pelas mudanças nos processos produtivos de nossos clientes, como o desinvestimento em combustíveis fósseis e o investimento em tecnologias limpas,”, afirmou.

Em Madri, a equipe da Global Risks está formada por cerca de 200 profissionais, os quais operam em terceiros países com normas e regulações diferentes. Neste ponto, lembrou que um dos princípios da MAPFRE é seu respeito à legislação local, pelo que a importância da área jurídica é vital. “Precisamos do seu apoio constante, já que mantém a equipe de assinatura constantemente atualizada no âmbito das exigências normativas locais e suas modificações”, apontou.

Por último, expressou a importância de adaptar suas metodologias e processos ao novo paradigma da digitalização devido aos novos riscos aos quais os consumidores estão expostos. “A digitalização e a globalização geram ameaças para nossos clientes que são potencialmente mais nocivas que os riscos tradicionais, como por exemplo os ciberriscos, o risco reputacional ou a dependência da cadeia de fornecimento”, concluiu José Antonio.

 

Acesse a entrevista completa neste link

 

donwload pdf
A Inteligência Artificial na gestão de riscos

A Inteligência Artificial na gestão de riscos

A IA foi um tema transversal na XXIX edição das Jornadas Internacionais Global Risks da MAPFRE, realizada no último mês de junho. Foi o eixo central de uma das palestras de mais destaque do evento, abordando seu impacto na gestão de riscos globais. Tendo como...

ler mais