Inicio > Revista Gerência de Riscos e Seguros > Notícias > A MAPFRE lucra 609 milhões em 2019, 15,2% a mais que no ano anterior
Resultados-mapfre-2019-933x526-1

A MAPFRE lucra 609 milhões em 2019, 15,2% a mais que no ano anterior

O Grupo MAPFRE anunciou os resultados financeiros de 2019

Principais dados do exercício:

•As receitas cresceram 7,1%, chegando a 28,472 bilhões de euros, e os prêmios cresceram 2,2%, chegando a 23,044 bilhões.

•Os lucros das unidades de seguros, principal negócio da MAPFRE, cresceram 17,7%, ultrapassando 806 milhões de euros.

•Um aumento notável da lucratividade nos três principais mercados (Espanha, Brasil e Estados Unidos).

•O negócio de resseguros fatura 77 milhões de euros, apesar do forte impacto de sinistros extraordinários.

•Dividendo financeiro: a MAPFRE mantém o dividendo e pagará a seus acionistas € 0,145 por ação a partir dos resultados de 2019.

•Dividendo social: o Grupo contribui com 324 milhões de euros em impostos de sociedades, com uma taxa efetiva de 25% sobre lucros.

Para saber mais detalhes, acesse aqui a informação completa

donwload pdf
Lições aprendidas com o derramamento de pellets

Lições aprendidas com o derramamento de pellets

Passaram-se dois meses desde o derramamento de pellets em praias espanholas e, enquanto os trabalhos de limpeza continuam, as consequências legais e o impacto na regulamentação internacional são alvo de debate no setor de transporte marítimo. O recente despejo de...

ler mais
O subscritor de riscos, o que você sabe?

O subscritor de riscos, o que você sabe?

Existe um profissional que se ocupa de avaliar os riscos de um seguro, buscando o equilíbrio entre garantir as necessidades do cliente e a rentabilidade do negócio. É o subscritor de riscos, uma função em alta no ambiente digital. Mas, o que há por trás do processo de...

ler mais
Uruguai: perspectivas econômicas e comerciais

Uruguai: perspectivas econômicas e comerciais

Depois de atingir, em 2022, um volume de investimento estrangeiro direto histórico, o Uruguai enfrentou, em 2023, uma seca sem precedentes que provocou certa desaceleração na primeira metade do ano que, apesar do impacto, terminou com um crescimento econômico de 1,3%....

ler mais